Gazette

Sua referência em notícias culturais

Festival de Ópera começa a venda de ingressos Festival de Ópera começa a venda de ingressos
Ainda nem havia dado oito horas da manhã desta quinta-feira (28), e uma pequena fila já havia se formado ao lado do Theatro da... Festival de Ópera começa a venda de ingressos

Ainda nem havia dado oito horas da manhã desta quinta-feira (28), e uma pequena fila já havia se formado ao lado do Theatro da Paz. Pessoas esperavam a abertura da bilheteria para a compra dos ingressos para o XV Festival de Ópera do Theatro da Paz, que será realizado no período de 6 de agosto a 1 de outubro deste ano, na centenária casa de espetáculos localizada na praça da República.

Este ano o festival chega aos 15 anos de exibição ininterrupta. A programação é realizada pelo Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, em parceria com a Academia Paraense de Música.

Abertura – Nesta quinta-feira, começaram as vendas para os eventos que serão realizados em agosto: o “Concerto de Abertura” e a cantata “Los Pájaros Perdidos – O Tempo no Tango”. Para a ópera “Turandot”, de Giacomo Puccini, que será encenada nos dias 21, 23, 25 e 27 de setembro, as vendas começarão somente no início desse mês.

Este ano, todas as apresentações ocorrerão no Theatro da Paz. O “Concerto de Abertura”, no dia 6, às 20h, terá a Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP) regida pelo maestro Miguel Campos Neto. A soprano paraense Adriane Queiroz, que reside hoje em Berlim (Alemanha), será a convidada especial. O concerto fará referência aos 180 anos de nascimento e aos 120 anos de morte do compositor Carlos Gomes, lembrados em 2016. O músico, nascido em Campinas (SP), faleceu em Belém, em 1896.

Tango – A cantata “Los Pájaros Perdidos – O Tempo no Tango”, baseada na obra dos argentinos Astor Piazzolla e Carlos Gardel, será encenada nos dias 26, 27 e 28 de agosto, às 20h. Participam 11 bailarinos paraenses e quatro de São Paulo – especialistas em tango. O coreógrafo brasileiro Luis Arrieta, além da cantora mexicana Eugenia León, o tenor carioca Fernando Portari – que brilhou no ano passado na ópera “Os Pescadores de Pérolas” – e o bandoneonista argentino Martín Mirol, integram o espetáculo. A cantata se inspira nas várias etapas da vida humana: suas emoções e relações, diante da passagem do tempo.

Os membros da Orquestra Jovem Vale Música irão executar a música da cantata, conduzidos também por Miguel Campos Neto. A direção cênica é de Caetano Vilela, que já comandou outras produções do Festival, como “O Navio Fantasma”. O espetáculo tem concepção dos músicos paraense Dudu Neves e Luiz Pardal e do secretário de Cultura Paulo Chaves.

Fila – Entre os que estavam na fila de hoje, ao lado do Theatro da Paz, a mais feliz era, sem dúvida, a funcionária pública Sílvia Lopes. Sílvia chegou antes das 8h. Já havia dez pessoas na fila, antes dela. “Cheguei um pouco atrasada, porque o meu relógio não despertou, mas estou aqui com os meus ingressos. Todos os anos eu tenho que chegar mais tarde no trabalho e vir na bilheteria. Tenho dinheiro separado. Não saio de férias só para ter esse dinheiro e comprá-los”, sorria a funcionária pública. “Acho muito bacana termos esse festival aqui e mostrar que não é só o eixo Rio de Janeiro e São Paulo que pode fazer um espetáculo de qualidade. Mostrar o quanto nós crescemos como músicos. Venho em todas as récitas, desde que vi ‘O Elixir do Amor’. Sou fã de carteirinha e tenho autógrafos dos artistas nos catálogos do festival”, detalha Sílvia. Ela contou ainda o motivo para tanta antecipação na compra: tem o costume de assistir aos espetáculos somente na ‘varanda’ do teatro, e no lado par das cadeiras.

O analista de sistemas Fábio Carvalho da Costa é outro fiel espectador do Festival de Ópera. Entre todas as edições, ele só não participou da primeira, que teve a encenação da ópera “Macbeth”. Costa não morava em Belém nessa época. Ele chegou cedo. E logo estava com os ingressos para os dois espetáculos de agosto. “Vou ver o concerto de abertura e a cantata, mas a minha grande expectativa é a ópera ‘Turandot’, que é uma antiga paixão. Eu penso que ópera é uma grande arte, que envolve muitos profissionais e ajuda a projetar os talentos musicais que temos aqui”, justificou.

 

Serviço:

XV Festival de Ópera do Theatro da Paz
Vendas na bilheteria do Theatro da Paz

Concerto de Abertura
Valores: R$ 30 (plateia, varanda, frisa e camarote de 1º); R$ 20 (camarote de 2ª e Galeria) e R$ 10 (Paraíso).
Cantata “Los Pájaros Perdidos – O Tempo no Tango”
Valores: R$ 50 (plateia, varanda, frisa e camarote de 1º); R$ 30 (camarote de 2ª); R$ 20 (Galeria) e R$ 10 (Paraíso).
Ópera “Turandot”
Valores: R$ 80 (plateia, varanda, frisa e camarote de 1º); R$ 40 (camarote de 2ª); R$ 20 (Galeria) e R$ 10 (Paraíso). Vendas de ingressos somente em setembro.

Informações: (91) 4009 8750

Por Dedé Mesquita

Fonte: Agência Pará

admin

No comments so far.

Be first to leave comment below.

Your email address will not be published. Required fields are marked *