Gazette

Sua referência em notícias culturais

Manifestações culturais do Estado recebem incentivo de editais de cultura Manifestações culturais do Estado recebem incentivo de editais de cultura
A Fundação Cultural do Pará (FCP) tem investido na valorização da cultura e da arte por meio da Lei Semear e do Programa Seiva,... Manifestações culturais do Estado recebem incentivo de editais de cultura

A Fundação Cultural do Pará (FCP) tem investido na valorização da cultura e da arte por meio da Lei Semear e do Programa Seiva, que só em 2015 foram responsáveis pela aprovação de 423 projetos, totalizando mais de R$ 5 milhões em investimentos. O Seiva, que completa dois anos em 2016, conseguiu ampliar e fortalecer ainda mais a política de incentivos culturais do Pará.

A Lei Semear, nº 6.572, de 8 de agosto de 2003 – que aprovou 201 projetos no ano passado –,garante às iniciativas contempladas um incentivo público e privado voltado, principalmente, para valores mais altos. O vencedor da concessão recebe uma carta de crédito, que pode ser patrocinada por empresas. Em contrapartida, essas empresas recebem abatimento no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Os editais do programa Seiva recebem patrocínio direto do Estado, que é mais prático e rápido, porém com valores menores, de até R$ 5 mil. As propostas são submetidas a uma banca avaliadora, assim como é na Lei Semear. Em caso de aprovação, o artista recebe o prêmio ou bolsa previstos.

“Os editais com financiamentos diretos do Estado são ações não apenas de prêmios, mas de valorização da cultura, uma oportunidade de aprimoramento, desde a pesquisa até o evento. Ficamos muito felizes e satisfeitos de manter esta política de incentivo mesmo com o país enfrentando uma crise econômica. Todos os editais, prazos e prêmios foram respeitados e não houve nenhum atraso de pagamento”, ressalta a presidente da FCP, Dina Oliveira.

Até esta quarta-feira (5) estão abertas as inscrições para o edital do Prêmio de Manifestações Culturais, um dos sete tipos de incentivos oferecidos pela FCP. O objetivo é premiar 50 mestres e grupos ou comunidades praticantes de diversas manifestações culturais que sejam referência aos valores da cultura paraense. Cada um receberá R$ 5 mil.

Reconhecimento – Uma das artistas contempladas em 2015 foi Enid Rubens Vaz Solheiro, 84 anos, que por três anos foi responsável pela confecção do manto oficial do Círio de Nazaré. O trabalho artístico dela já é reconhecido em diversas áreas, e o cuidado delicado com cada peça é lembrado até hoje. Um dos trabalhos, muito conhecido pela ornamentação de diversos anjos, foi dado de presente para dom Orani Tempesta, quando ele se mudou para o Rio de Janeiro.

Enid Solheiro parou de trabalhar com a arte da costura em 2009, depois que sofreu um acidente vascular cerebral (AVC), mas a filha dela, Lilian Almeida, 58, que mantém diversos registros das obras da mãe, a inscreveu no edital. “Soube desse prêmio e decidi fazer a inscrição só relacionada ao manto, pois ela começou a costurar muito cedo, tem uma longa carreira. Ficamos muito felizes com esse reconhecimento. Nada mais importante para a cultura do que termos esse legado dos mestres preservado e lembrado. É algo que engrandece o artista e leva essa obra para as novas gerações”, ressalta Lilian.

Os projetos aprovados em 2016 serão apresentados ao público no período de 20 de outubro a 16 de dezembro. Todos os espaços da FCP serão ocupados por uma extensa programação para apresentar os resultados das concorrências. “Teremos todas as linguagens culturais reunidas, como música, teatro, dança e outras manifestações culturais. Será um conjunto de tudo o que foi premiado no Estado. O momento será uma prestação de contas e, ao mesmo tempo, uma forma de dar visibilidade para estes artistas demonstrem seu trabalho para a sociedade”, explica o técnico da FCP Júnior Soares.

Por Diego Andrade

Fonte: Agência Pará

admin

No comments so far.

Be first to leave comment below.

Your email address will not be published. Required fields are marked *