Gazette

Sua referência em notícias culturais

Concerto celebra os 20 anos da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz Concerto celebra os 20 anos da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz
Um concerto especial, com a primeira execução em Belém da “Sinfonia Fantástica”, de Hector Berlioz, será apresentado na noite desta sexta-feira (16), às 20h,... Concerto celebra os 20 anos da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz

Um concerto especial, com a primeira execução em Belém da “Sinfonia Fantástica”, de Hector Berlioz, será apresentado na noite desta sexta-feira (16), às 20h, no Theatro da Paz, marcando o início das comemorações pelos 20 anos de criação da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP). A entrada é gratuita.

Em dezembro de 1996, quando o Theatro da Paz já contava 118 anos de existência, a secular casa de espetáculos passou a ter uma orquestra sinfônica, e um importante capítulo da história da música no Pará começou a ser escrito. Do concerto inaugural, regido pelo maestro gaúcho Andi Pereira, até hoje, são 20 anos de atividades sem interrupção.

A formação inicial contava com músicos brasileiros e estrangeiros, residentes em Belém. Hoje, a orquestra tem 66 músicos, todos paraenses ou que já moram no Pará há muitos anos, incluindo novas gerações de músicos, que vêm sendo absorvidos por meio de audições seletivas que ocorreram nos últimos cinco anos.

Da formação inicial, sete músicos ainda permanecem no grupo. Entre eles, o maestro paraense Miguel Campos Neto, que em 1996, ainda estudante, era do naipe de primeiros violinos, mas que, desde 2011 ocupa o lugar de maestro titular da OSTP.

A violinista Carla Prist, o violista Rosildo Pereira, o contrabaixista Paulo André Nascimento, o trombonista Manassés Malcher e os percussionistas Cláudio Costa e Ricardo Aquino são os outros músicos remanescentes da primeira formação.

Programa – A OSTP vai executar na noite de sexta-feira uma obra desafiadora e marcante, a “Sinfonia Fantástica”, do compositor francês Hector Berlioz. O concerto dará início às comemorações dos 20 anos, que continuarão ao longo do ano de 2017.

“O concerto de 20 anos da orquestra será uma ocasião especial, além de tudo, pela escolha do repertório, com a execução, pela primeira vez em Belém, da ‘Sinfonia Fantástica’, de Berlioz, que é inovadora para a orquestra e um repertório de difícil execução. Isso demonstra que a OSTP já galgou um alto nível nesses 20 anos”, diz o maestro Miguel Campos Neto.

“Para mim, é uma ocasião especial também por eu ter sido membro fundador da orquestra, como primeiro violinista, na época ainda sem pretensão nenhuma de estudar regência. Depois saí para estudar violino nos Estados Unidos, e quando comecei a estudar regência não imaginava que um dos meus primeiros trabalhos como regente seria justamente em minha terra natal. Nem imaginava que seria regente da OSTP, durante as comemorações dos 20 anos. Isso torna essa ocasião ainda mais especial pra mim”, completa.

A “Sinfonia Fantástica” tem quatro movimentos: Sonhos e Paixões, Um Baile, Cena Campestre, Marcha ao Suplício e Sonho de uma Noite de Sabá. Na segunda parte do concerto, a OSTP vai executar a famosa peça “Bolero”, do também compositor francês Maurice Ravel. “A escolha de ‘Bolero’ é pela estrutura e concepção, quando cada naipe de instrumentos é apresentado, um a um. É como se fosse uma vitrine de apresentação dos músicos da orquestra”, explica o maestro.

Trajetória – A OSTP foi criada pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult) e teve como maestros Andi Pereira (gaúcho), Barry Ford (americano), Mateus Araújo (carioca) e os paraenses Enaldo Oliveira e Miguel Campos Neto. Como convidados da orquestra estiveram os maestros Patrick Shelley, Roberto Duarte, João Carlos Martins, Luís Fernando Malheiro, Silvio Viegas, Abel Rocha, Flávio Florence, Carlos Moreno, Gian Luigi Zampieri, Alessandro Sangiorgi, Laércio Diniz, Marcelo de Jesus, Edilson Ventureli e Linus Lerner, dentre outros.

Como solistas atuaram artistas de renome internacional, como Arnaldo Cohen, Arthur Moreira Lima, Miguel Proença, Antonio Del Claro, Emmanuele Baldini, Juliana D’Agostini, Eliane Coelho, Rosana Lamosa, Ryu Goto, Ji Young Lim, Luís Rossi, bem como os cantores paraenses Adriane Queiroz, Carmen Monarcha e Atalla Ayan, dentre outros nomes de várias gerações.

A OSTP gravou CDs e DVDs com músicos de destaque no cenário nacional e local, alcançando mais de uma dezena de títulos operísticos que compõem a programação do Festival de Ópera do Theatro da Paz, uma iniciativa única entre os estados brasileiros produtores de ópera. A orquestra apresenta também concertos mensais no Theatro da Paz, concertos didáticos, projeto de interiorização – já se apresentou em Santarém e Bragança –, concertos ao ar livre, série de câmara, além participar do Festival de Ópera do Theatro da Paz. Na trajetória, vem dando destaque à difusão da música sinfônica paraense, realizando periodicamente concertos dedicados a este repertório.

Executou em primeira audição, depois das estreias há mais de 100 anos, as óperas “Bug Jargal” e “Yara”, do paraense Gama Malcher, e também, após mais de 50 anos da estreia, a ópera “A Ceia dos Cardeais”, do paraense Arthur Iberê de Lemos.

A OSTP tem se destacado na imprensa nacional pela atuação na execução de óperas como “Salomé”, de R. Strauss; “Il Trovatore” e “Otello”, de Verdi; “O Navio Fantasma”, de Wagner; “Mefistófele”, de Boito; “Os Pescadores de Pérolas”, de Bizet, e “Turandot”, de Puccini, dentre outros títulos. Recentemente, se apresentou pela primeira vez fora do Pará, no Teatro Amazonas, em Manaus (AM), com grande sucesso de público, como parte do Festival Música na Estrada.

Serviço: Concerto em celebração aos 20 anos da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz. Sexta-feira (16), às 20h, no Theatro da Paz. Entrada franca, com distribuição de ingresso a partir das 9h, na bilheteria do teatro. Informações: (91) 4009 8750.

Por Dedé Mesquita

Fonte: Agência Pará

admin

No comments so far.

Be first to leave comment below.

Your email address will not be published. Required fields are marked *